As cirurgias de correção mamária são um dos procedimentos mais procurados pelas brasileiras. E não é à toa, já que pequenas modificações nessa área geram grande impacto visual, de saúde e de recuperação da autoestima também.

Engana-se quem pensa que um cirurgião plástico é procurado somente quando a mulher quer aumentar o tamanho dos seios. A cirurgia de redução, conhecida como mamoplastia redutora, tem uma demanda altíssima, já que muitas mulheres se sentem incomodadas com o tamanho avantajado das mamas e querem corrigi-lo.

Mas será que a necessidade é apenas estética? Há outras indicações da mamoplastia redutora além da insatisfação com a imagem? Descubra, agora, tudo o que você precisa saber sobre a cirurgia e quando esse procedimento é indicado.

Como funciona a mamoplastia redutora?

A cirurgia atua na remoção do excesso de gordura, do tecido glandular e da pele da região dos seios, a fim de reduzir o seu tamanho. Isso pode acontecer nas duas mamas ou em apenas uma, quando houver irregularidades no formato e o intuito seja corrigir essa diferença.

A retirada funciona por meio de uma incisão, normalmente em formato de T invertido, que vai desde o sulco mamário até as aréolas. O formato da incisão pode mudar, conforme o volume e a largura das mamas.

Após a retirada, os seios são reposicionados, adotando-se critérios de alinhamento e simetria, para que o resultado seja coerente com o tronco da paciente e atinja os objetivos e expectativas dela.

Quais as indicações para recorrer ela?

Por mais que os ganhos na aparência sejam um fator importante, eles nem sempre são os únicos motivos que levam a paciente a optar pelo procedimento. Além deles, há outras razões que alertam para a necessidade de uma intervenção cirúrgica. Conheça os mais comuns:

Saúde

Mamas grandes são pesadas, podendo trazer sérios problemas para a coluna e as costas, devido ao seu excesso de volume, que curva o corpo e atrapalha a postura. É comum a mulher sentir dores no pescoço e nos ombros, oriundos do sobrepeso mamário.

Esse é mais um dos benefícios que o procedimento traz. Nem sempre a paciente apresenta grau de insatisfação com o tamanho dos seios, mas se o peso coloca em risco a sua coluna, o médico poderá indicar a redução das mamas como alternativa.

Conforto ao se vestir

Não há nada pior do que gostar de uma peça de roupa e não poder vesti-la por causa do desconforto que ela gera, não é? Sabemos bem o que é isso.

A redução mamária ajusta o volume e peso dos seios para que eles não incomodem com o uso de sutiãs, biquínis, vestidos decotados e outras peças de formato menor ou mais delicadas.

Esse motivo é válido e deve ser tratado com relevância, pois a mulher se sente muito bem usando uma peça de roupa que gosta e que valoriza seu corpo e sua personalidade.

Estética

O aumento das mamas é o segundo procedimento mais buscado pelas brasileiras e é feito por meio da inserção da prótese de silicone. Mas muitas mulheres, na contramão disso, sentem-se incomodadas com o volume da região e procuram o caminho inverso: a redução.

Seios muito grandes, principalmente para as mulheres magras, dão ao corpo uma aparência irregular, transformando a região mamária no centro de atenção dos olhares das pessoas, o que incomoda muitas mulheres. Além disso, mamas muito grandes são mais propensas à flacidez.

Esse incômodo estético é um dos motivos que levam as pacientes a utilizarem o recurso cirúrgico para resolver a insatisfação com essa parte do corpo.

Quais são os requisitos para a cirurgia?

Embora a operação seja tranquila, é preciso que a paciente tenha um perfil saudável, para que tudo ocorra de forma sossegada. Veja quais são os requisitos ideais:

Idade

A idade mínima, segundo recomendações médicas, é de dois anos após a primeira menstruação. Esse período é uma referência da normalização hormonal da mulher, indicando o início de uma fase estável e apta para as modificações.

Peso

Uma pessoa que está acima do peso, com problemas de obesidade, pode ter a sensação de que os seios estão maiores, levando-a a recorrer à cirurgia. Casos como esses podem ser resolvidos adotando uma dieta para emagrecimento.

É preciso que se faça uma entrevista com o cirurgião plástico para saber se a redução é o recurso correto para a situação.

Hábitos saudáveis

Por mais que não impeça, manter uma rotina saudável ajudará para que tanto o pré, quanto o pós-operatório ocorram de forma tranquila e sem complicações.

Evitar cigarros e ingestão de bebidas alcoólicas nesses períodos auxilia a manter longe as complicações e ter um período cirúrgico sem problemas.

Quais são as recomendações para o pré e pós-operatório?

A cirurgia de redução não é tão simples como a de aumento da mama, por exigir cortes maiores para a retirada o excesso. Porém, seu pós-operatório geralmente é mais tranquilo. Veja os cuidados necessários antes e depois:

Cuidados antes da cirurgia

  • jejum absoluto de oito horas;
  • comunicação de qualquer anormalidade no estado de saúde à equipe;
  • no dia, não devem ser usados brincos, anéis, pulseiras ou esmaltes;
  • todas as recomendações passadas pelo cirurgião sobre a internação devem ser obedecidas;
  • não fumar ou ingerir bebidas alcoólicas;
  • informar ao médico todos os tipos de remédios que estiver utilizando. E não ingerir nenhum sem a autorização prévia dele, antes da cirurgia;
  • providenciar um acompanhante para todo o período.

Cuidados após a cirurgia

  • repousar e evitar esforços por 30 dias;
  • os braços não devem ser elevados acima da altura dos ombros, devendo a paciente ficar com os cotovelos próximos ao corpo, também por 30 dias;
  • não expor-se ao sol e a friagem pelo período mínimo de 30 dias;
  • seguir à risca todas as orientações que o cirurgião passar;
  • utilizar sutiã especial, conforme a recomendação do médico;
  • consultar o cirurgião sobre qualquer modificação na rotina, pedindo a ele liberação para tal;
  •  
  • Quais são as dúvidas mais frequentes sobre a cirurgia?

É muito comum surgirem dúvidas a respeito da redução mamária. Aqui, esclareceremos as questões que são mais frequentes, para que você fique segura sobre o procedimento.

Homem pode fazer mamoplastia de redução?

Sim, os homens também sofrem com excesso de peito e podem passar por uma redução. Porém, o nome dessa cirurgia é ginecomastia, que possui objetivos semelhantes à mamoplastia de redução.

Quanto tempo dura a cirurgia de redução?

O procedimento dura em média três horas, a depender da sua complexidade. Porém, a paciente poderá ficar internada por aproximadamente 24 horas.

O resultado definitivo demora muito tempo para aparecer?

Os resultados finais dependerão da disciplina no pós-operatório, mas em torno de seis meses depois da operação já é possível ver, em definitivo, o real formato dos seios.

As cicatrizes ficam visíveis?

O tamanho e a exposição da cirurgia vai depender do excesso de volume que será retirado, porém as marcas podem ser facilmente escondidas pelo biquíni e pelas roupas.

A cirurgia atrapalha a amamentação?

Normalmente não, mas há essa possibilidade. É bom conversar bem com o cirurgião para descobrir quais as hipóteses de interferência na amamentação.

Mudar o visual faz parte da construção de uma imagem que traga satisfação e bem-estar, isso, não tem preço que pague.

A maior motivação deve vir de si mesma, quando há vontade de ficar mais atraente, melhorar o incômodo da dor ou do manequim.

Esperamos que este conteúdo tenha esclarecido suas dúvidas sobre a mamoplastia redutora e os benefícios que ela traz para saúde e estética. Este artigo faz parte do nosso compromisso em trazer materiais que esclarecem os procedimentos de cirurgia plástica para aquelas pessoas que têm buscado informações sobre isso.

Que tal compartilhá-lo nas suas redes sociais? Você deve ter algumas amigas que também têm interesse em saber mais sobre a cirurgia redutora de mama. Apresente a elas este material, elas amarão!